Planejamneto financeiro da sua empresa

Saúde financeira: como saber se seu negócio vai bem?

O objetivo da imensa maioria dos empresários é que sua empresa prospere, que venda mais, aumente o seu lucro e conquiste clientes fiéis. Mas, se alcançar todos estes objetivos não é tão simples quanto parece, uma questão fundamental e que com certeza será a base, o alicerce para todos eles, é equilibrar a saúde financeira da empresa, mantendo suas contas em dia, ou seja, honrar seus pagamentos de fornecedores, impostos e demais gastos fixos, como aluguel, água, luz e internet.

E mais uma vez, não é tão simples quanto parece, especialmente no Brasil, onde segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 60% das empresas quebram depois de 5 anos de sua abertura, identificando assim uma dificuldade dos empresários em administrar e até mesmo planejar seus negócios.

Obviamente a crise econômica acentuada pela pandemia mundial, ocasionada pelo coronavírus há mais de um ano, impactou ainda mais diversos setores da economia, mas, é preciso reconhecer que além disso, os problemas e as dificuldades para realizar a gestão financeira das empresas, ainda existem.

Para que sua empresa não entre para a porcentagem negativa destas estatísticas, aprender a avaliar a saúde financeira do seu negócio é fundamental para equilibrar suas finanças e todo o resto: vendas, compras, atendimento, entrega, etc. Acompanhe a seguir os principais pontos a serem observados para que o seu empreendimento supere a marca dos 5 anos de existência, com lucratividade e estabilidade.

Saúde Financeira Estável

É fato que, nem todos prestadores de serviço e demais profissionais, que são especialistas em suas áreas de formação, também sejam bons administradores de seu negócio. Isso porque, estes profissionais são qualificados em seu segmento, voltado para o produto ou serviço prestado, mas não necessariamente para a venda dele ou administração de uma empresa.

E as finanças que envolvem a contabilidade de uma empresa, com muitos números de entradas e saídas, porcentagens, planilhas, impostos e muitos cálculos, acabam assustando muitos empresários que, por não terem habilidade com a área administrativa, muitas vezes podem colocar seu negócio em risco. Porém, realizar um acompanhamento constante das contas da empresa é fundamental para entender a situação atual dela, identificar se está evoluindo ou decaindo e quais caminhos podem ou devem ser seguidos. Mas, para realizar este processo, é preciso começar pelo começo, onde o proprietário/responsável deve primeiramente entender se a saúde financeira da empresa é/está estável, analisando alguns pontos, conforme você pode acompanhar a seguir:

Receita

Ao analisar a receita da sua empresa, o ideal é que ela apresente um ritmo constante de crescimento, assim, é possível identificar que sua empresa opera não apenas para cobrir os gastos e, melhor ainda, que não está tendo prejuízos.

Realizar um fluxo de caixa é fundamental para poder fazer essa e outras análises, pois é nele que devem ser registrados todos os números de entradas e saídas financeiras, até mesmo os valores que possam ser considerados irrelevantes, afinal, a soma de vários valores irrelevantes, mas diários, como um café mais caro, ou um estacionamento pago, podem somar um valor elevado no final do mês, podendo assim, a necessidade dessas despesas serem reavaliadas.

Despesas

As despesas fazem parte de todo e qualquer negócio, afinal, são necessárias para viabilizar uma série de quesitos como fornecedores, aluguel, internet, telefone, entre outros. Por isso, o ideal é que seja feito um planejamento dessas despesas, para ter uma previsão dos gastos mensais, semestrais e anuais e poder identificar se os gastos estão subindo demais, e reavaliar o que pode ser feito para reduzi-los. Esta é uma ferramenta fundamental para manter um equilíbrio das finanças e proporcionar uma saúde financeira para o negócio.

Faturamento

Para identificar o faturamento, o empresário deverá identificar a receita gerada com as vendas (faturamento bruto) e após, descontar desse valor os impostos, obtendo assim a receita líquida. Este indicador auxilia na comparação entre o resultado obtido e a meta que havia estipulado, e assim avaliar se a estratégia adotada pode ser mantida ou precisa ser readequada.

Custos fixos e variáveis

Enquanto os custos fixos são os gastos que podem ser previstos mensalmente, como o aluguel e a conta de internet e não tem relação direta com o volume de vendas, os custos variáveis podem oscilar conforme a produção e a venda, por dependerem de terceiros, como a matéria-prima, pagamento de comissões e até a mesmo a conta de energia, que pode variar consideravelmente, em determinados períodos do ano ou com o aumento de produção. Portanto, com estas previsões, estimativas de custos, contribuem para o empresário identificar se há gastos elevados e avaliar alternativas, como a troca de fornecedor ou até mesmo de endereço, caso o aluguel esteja alto, por exemplo.

Retorno sobre investimento

Também chamado de ROI, o Retorno Sobre Investimento é um indicador muito útil para a gestão financeira de um negócio, para entender se a forma como são utilizados os recursos está de fato, gerando algum rendimento (lucro).

A partir deste cálculo, é possível identificar quanto a empresa ganhou ou perdeu comparado ao investimento feito. Basicamente o cálculo do ROI é = (o valor do Ganho obtido menos o Investimento inicial) e este resultado, dividido pelo valor do Investimento inicial. Com o resultado deste cálculo, é possível avaliar se o investimento feito teve algum retorno e se vale a pena mantê-lo ou se é necessário readequar a estratégia.

Ticket Médio

Esse indicador aponta o desempenho das vendas, com o retorno financeiro de cada venda realizada. Para calcular o Ticket médio, basta dividir o valor da Receita total pelo Número de vendas, desta forma é possível identificar questões relevantes para o negócio, como por exemplo se o preço dos produtos está adequado, se é preciso investir em marketing, se há a necessidade de aperfeiçoar algum produto ou serviço ou ainda, se talvez seja válido oferecer um treinamento para a equipe de vendas.

Nível de Endividamento

O nível de endividamento identifica o quanto a empresa utiliza recursos próprios para funcionar e o quanto utiliza de empréstimos e financiamentos. Também é possível ser identificado a partir de um cálculo simples, dividindo o número de Passivos pelo número de Ativos. Assim, é possível mensurar em quanto tempo conseguirá quitar essas dívidas.

Lucratividade

Sem dúvidas, este, é o índice que mais interessa aos empresários, porque afinal, identifica se a empresa é lucrativa ou se o negócio é inviável. Para calcular a lucratividade de uma empresa, e saber se os lucros líquidos estão cobrindo as despesas, basta dividir o valor do Lucro líquido pelo valor do Faturamento bruto mensal.

Planejamento Financeiro

Como visto, para conquistar e manter uma saúde financeira estável em uma empresa, é fundamental ter organização, realizar um bom planejamento financeiro e identificar os principais indicadores, pois isso possibilita compreender a realidade da empresa, e saber qual a melhor direção e estratégias a seguir, para reduzir os custos e aumentar os lucros.

Outra dica importante para um bom planejamento financeiro é criação de um fundo de emergência para suprir as principais despesas da empresa diante de momentos e cenários desfavoráveis, como é o caso da pandemia. Também é importante refletir: Qual é o maior bem de sua empresa? Quem levou a empresa chegar onde está? Por isso, trabalhamos com o seguro para sucessão empresarial e de pessoa chave, um seguro de vida específico, feito pela empresa, em nome dos sócios ou pessoa chave. A proposta é fazer mais para que suas perdas sejam mínimas. Em caso da morte de um dos sócios ou de um profissional fundamental ao funcionamento da estratégia, a empresa mantém o capital segurado para comprar a parte do sócio ou achar outro profissional, e seguir funcionando e crescendo, protegendo a longevidade do CNPJ.

Outra questão importante é implantar o seguro de vida empresarial para os seus funcionários. Ele possui todas as coberturas de um seguro de vida e pode representar a sua preocupação com o próximo. Seus funcionários terão essa tranquilidade e terão mais um motivo para trabalharem motivados e sem preocupações! Com isso, as reclamações trabalhistas que você pode ter, diminuem drasticamente.

Se você se interessou em saber mais sobre a saúde financeira de sua empresa e tem interesse em melhorar a gestão do seu negócio, conte com quem é especialista na área! Vamos conversar? Eu sou Michel Goulart, Especialista em Planejamento de Gestão de Risco Financeiro, da Prudential do Brasil. Agende agora sua Consultoria.

Fontes de Referência:
https://blog.ceem.com.br/saude-financeira-como-saber-se-seu-negocio-vai-bem/

Rolar para cima